Interviews

Eu sou uma mulher muito forte e sonhadora, que luta por seus objetivos…

Brasileira Karla 34 anos coreógrafa de dança.

O que você veio fazer em Paris?

Eu vim para Paris para dar aulas de dança e ver meus amigos aqui em Paris e estar em num lugar diferente de onde eu venho, também respira e ver novas  ambientes de Paris .

Qual foi a sua vida, o seu trabalho antes de chegar em Paris?

Não é a primeira vez que venho em Paris. Eu venho do Brasil trabalho como coreógrafa há mais 17 anos, nunca fiz outro trabalho além da dança. Eu vivo  da arte.

Como nasceu  essa paixão da Arte da dança em você ?

Eu inicie a  dança aos 10 anos de idade, comecei pela dança moderna jazz  e no  caminho encontrei  as  danças urbanas, alguns anos depois comecei a dar aulas.Eu não me vejo fazendo outras coisas, a dança me escolheu e eu escolhi a dança e nós seguimos  juntas.

Comecei a dançar copiando os movimentos das dançarinas   de um estilo musical brasileiro chamado Axé, que fazia muito sucesso nos anos 90 e era muito comum nos programas de televisão .

Na minha família sou a única artista.

Que tipo de criança você era ?

Eu era uma criança com muita personalidade, determinada e que me  preocupava  muito com as outras crianças também, e eu era uma criança paciente e adorava brincar muito.

E hoje eu não tenho mais paciência …risos

Você usa dança como terapia?

Absolutamente, é a minha terapia .

Você é brasileira e estudou jazz moderno e não samba e outras danças brasileiras?

Samba, lambada, forró, são   danças que encontramos em sua maioria em festas e não em escolas de dança.Hoje existem sim esses aulas mas são voltadas mais ao público adulto.

A dança jazz moderna, você aprende nas escolas de dança é uma dança acadêmica, mas eu iniciei com a dança que era a mais conhecida na minha época, o  samba não era tão popular no na região onde nasci, o carnaval não era forte na minha cidade então esse samba carnavalesco que o mundo todo conhece não foi algo comum na minha infância.

Que tipo de dança você ensina aqui em Paris?

Dancehall uma dança Jamaica que também está bem conhecida no Brasil.

O dancehall é igual a dança brasileira chamada Funk? 

São danças de países diferentes, uma brasileira e outra jamaicana, mas as duas danças são de origem africana e que se parecem muito.

Qual é o seu plano B caso não tenha mais a dança?

Comissária de bordo, porque eu sempre gostei de viajar, mas eu prefiro dançar pois  me permite viajar também.

O que a dança representa para você?

Todo meu jeito de me expressar e de viver.

Quando é que você sabe que sua coreografia é boa?

Quando me sinto bem  realizando a coreografia.

Você segue uma dieta especial para dançar?

Eu tenho  muito cuidado com o que eu como, e ouço o meu corpo sobre o que ele precisa.

Eu não como mais produtos com leite, eu não sou uma pessoa louca da comida e que também não come nada, mais não me privou de comida. Aqui tem muito mais comidas diferentes que no Brasil. Então  tenho que prestar atenção para não exagerar aqui na França. Mas me permito comer o que tenho prazer em comer.

Qual é o seu objetivo dentro de dois anos com a dança?

Eu vim para Paris  com essa pergunta em mente, eu terei a resposta em breve sendo sincera com você,hoje eu ainda não tenho a resposta e não posso lhe responder.

Essa é a pergunta que estou me questionando  agora.

Você acha que você está em uma missão do Brasil para a França?

Absolutamente estou em uma missão.

Eu já tenho uma história com Paris , esta não é a primeira vez que venho aqui.

Eu cheguei aqui em Paris através da dança e me apaixonei pela cidade e pela forte cultura que existe aqui. A cidade respira arte e tem um estilo de vida muito oposto do meu país,então esse diferente me atrai.

Estou aqui para aprender uma nova maneira de trabalhar.

Você gostaria de ser reconhecido ou  de ser a melhor na  sua dança?

Eu quero fazer o meu melhor o que vier depois disso é consequência.

Você se considera como uma artista?

Sim, claro

Qual é o papel do artista na sociedade?

Acredito que a arte tem um grande poder de transformação no ser humano, se você transformar o ser humano você transforma a sociedade e o mundo quaisquer que sejam as conseqüências.

Quem são os artistas que te influenciaram?

Eu não sou uma pessoa  muito conectada nos artistas em um geral.

Eu comecei a dançar pela influência de grupos de Axé , que passava em todas as   rádios e na TVs no Brasil é um estilo musical originário da Bahia localizado no nordeste do país.

Com certeza Michael Jackson é uma inspiração, mais as pessoas que mais me inspiraram são as pessoas que eu vejo todos dias e algumas pessoas que não estão comigo hoje mas  com quem percorri  um longo caminho.

Eu tenho uma amiga chamada Carol com quem  trabalho  junto há  mais de dez anos, e sem dúvida ela me inspira , quando tenho minhas dificuldades, e quando olho pra ela e a vejo superando suas dificuldades isso me inspira e me motiva a avançar.

Eu sou mais influenciada  pelas pessoas ao meu redor pela sua realidade ao meu redor  do que  pessoas  na TV que eu não conheço.

De onde vem a sua criatividade?

Eu acho que arte e criatividade são influenciadas por nossas vidas, nossas emoções do momento. todas as nossas expressões artísticas são reflexos  do que você está vivendo, se você é feliz, se você está vivendo muitas coisas boas com certeza você terá inspiração para criar.

Quando você tiver uma decepção, será também  criativo. As inspirações vêm do que você vive no momento.

Se você pudesse mudar algumas coisas no seu trabalho ou melhorar o que seria?

A primeira coisa que eu teria feito no meu país para promover as artes, onde é o meu maior sonho, poder  viver no meu país com boas condições de vida e fazer o que gosto de fazer.

O que a dança representa para você?

Toda a minha vida, é o meio onde me  exprimo melhor, e onde sou eu, sem medo e sem ser julgado.

Qual é o lugar da música em sua vida?

A música é muito importante na minha vida sem música não faço nada.

Quando você disse valorização da arte, o que você quis dizer?

Que as pessoas valorizem em todos os sentidos a arte.

Você acha que precisa do governo para promover a dança no Brasil?

Sim com toda certeza.

Quando você estava no Brasil, o que você fez para melhorar isso?

Muitas coisas, mas eu não podia esperar que o estado mudasse

Todos devem contribuir para melhorar a valorização da nossa arte.

Como conciliar sua vida privada e sua vida profissional?

Respeitando os limites que devem ser respeitados e sem dúvida sendo  sempre muito honesta com vc mesmo e sabendo se preservar nos momentos certos.

Quais são as armadilhas no meio da dança que você já passou?

Não é realmente uma armadilha, eu não sei como explicar isso, mas também está acontecendo algumas vezes agora. Acontece com frequência que cantores ou agentes de artistas, ou agentes agentes de programas de TV, procuram dançarinos, dançam em clipes de cantor X e outros programas de TV, mas dizem que não têm um orçamento a pagar.

Eles te pedem para dançar de graça e te dizer que você está indo na TV e que todo mundo vai te ver e que é uma troca de serviço, mas só que todos ao seu redor que participaram da realização do este clipe é pago, exceto o dançarino.

Eu entendo que muitas vezes haverá trocas na vida, mas se você não tem dinheiro para investir para a dança, então você não deve ter dançarinos em seus clipes, e no dia em que você terá o dinheiro vai investir para dançarinos.

Muitas vezes eles não pagam ou pagam muito pouco, como no mundo da dança há muitas pessoas, há sempre algumas pessoas que basicamente aceitam ser pagas  mesmo sendo tão pouco, o que não favorece a classe.

Então, como mudar essa situação, sabendo que sempre há pessoas dispostas a aceitar suas condições, e quem quer pagar por essa situação permanece assim porque quer pagar o mínimo possível.

Acho que precisamos ajudar esses artistas a mudar sua mentalidade; Mas se você realmente quer viver de dança, você tem que ter certeza de que ela funciona e fazer dela o seu trabalho; você realmente tem que se colocar na liderança e considerá-lo  de verdade trabalho, é seu sustento e não como uma paixão um hobby.

Quantos anos você pratica dança profissional?

17 anos

O que você acha da rotina?

Eu odeio a rotina não é feito para mim.

Você é alguém que não pode ficar no mesmo lugar?

Eu me considero uma pessoa nômade, eu levei muito tempo para entender isso.

Ser nômade é algo muito diferente para toda a sociedade.

Eu venho de uma família onde eu sou o única artista e a pessoa mais diferente dos outros membros da minha família e eu sempre amei viajar Eu sempre gosto de ver coisas novas, eu sempre em todos os lugares procurando o meu lugar no mundo para poder montar minha rotina, depois de muito sofrimento e pesquisa dentro de mim entendi que sou uma pessoa nômade e meu lugar é onde meu coração estiver em paz.

Quanto coração você quebrou com a sua partida?

É mais fácil fazer a pergunta quantas vezes eles quebram meu coração.

Minhas histórias de amor não são interrompidas por causa das distâncias, elas acabaram  porque chegaram ao fim.

Eu realmente acredito que as pessoas em nossas vidas estão em missões e uma vez terminada sua missão elas partem e acabou.

Mas o amor não começa quando há dificuldades no casal?

Sim.

O que as palavras liberdade significam para você?

Hoje me faço a pergunta: somos realmente livres?

Eu não sei se somos realmente livres e acho que  não somos livres

Somos parcialmente livres, mas não 100%.

Eu luto pela minha liberdade.

Eu preciso da minha liberdade como um pássaro livre no céu.

Você é um ativista?

Eu acho que sim, eu sou militante, minha maior briga pela qual eu luto é pelo respeito em geral, e que ninguém insulta você pela sua cor de pele ou pelo seu cabelo, ou seu sexo, e que as pessoas respeitem os seres humanos; Este dia chegará  um dia..

Eu sou uma mulher, mas com a sociedade de hoje, é impossível não ser um ativista, como você quer que eu não seja militante?

Sua família influenciou você a vir para a Europa?

Decisões são pessoais, eu não acho que alguém decida por ninguém, então com certeza a decisão final sempre virá de mim, pois suas decisões serão sempre suas. Eu tenho o apoio da minha família sim para estar aqui.

Como você foge da sociedade?

Contato com a natureza. Estar sozinha… e sem dúvida quando eu danço.

O que você acha de todas essas redes sociais e da internet?

Eu acho que é 50% negativo e 50% positivo, é inacreditável hoje em dia, eu consigo ver minha mãe no Brasil e isso é ótimo; mas o negativo é que as pessoas vivem uma vida falsa e não a realidade.

O que você acha de todo esse site de namoro?

Eu nunca usei o site de namoro.

Qual foi o sentimento que você teve na primeira vez que entrou no palco?

Sentimentos e sensações que se sentem  apenas neste momento, é uma sensação de transmutação.

O que você fez com seu primeiro salário?

Eu compartilhei com meus pais e a outra metade eu guardei para aulas de dança.

Como você se sentiu quando se apaixonou pela primeira vez?

Eu estava anestesiada, tudo era lindo.

Quem é Karla hoje?

Eu sou uma mulher muito forte e sonhadora, que luta por seus objetivos,

Qual país está mais perto de você?

Brasil de onde eu venho.

Como você se vê daqui a 5 anos 10 anos?

Eu espero estar com alguém compartilhando meus sonhos e lutas,talvez com um filho…

E desejo que eu esteja feliz.

Categories
Interviews

Leave a Reply